Interpretação simultânea presencial ou remota: eis a questão

 

Interpretação simultânea presencial ou remota: eis a questão

A área de eventos é extremamente dinâmica e versátil. Diferentes tipos e formatos de eventos, com variadas demandas, irão exigir soluções de interpretação específicas. O serviço de interpretação promove a comunicação efetiva entre os participantes permitindo que todos se expressem em seu idioma nativo. No entanto, para garantir o sucesso do evento, é importante ajustar a natureza da atividade com a opção correta de interpretação.

Alguns organizadores se deparam com a dúvida entre a escolha de interpretação simultânea ou consecutiva e vale a pena entender as diferenças para fazer a melhor escolha. Podemos começar com a interpretação consecutiva, o primeiro tipo de interpretação criado. O intérprete ouve o orador, que deve parar sua fala para que o intérprete traduza para o idioma alvo, e assim sucessivamente. Esta modalidade de interpretação se presta bem para pequenas reuniões formais, cerimônias oficiais e diplomáticas em que o tema é genérico e não técnico. As partes falam e depois devem esperar a tradução, o que significa que a duração da interação deve levar em consideração esse fato.

Por isso não surpreende que a interpretação simultânea tenha sido criada durante o julgamento de Nuremberg, exatamente para possibilitar que 4 idiomas fossem traduzidos ao mesmo tempo – se a tradução do julgamento tivesse sido consecutiva, sua duração teria sido pelo menos quatro vezes maior!1 Desde então, os equipamentos necessários para a tradução simultânea, em que o intérprete ouve o orador e faz sua tradução para o idioma alvo ao mesmo tempo, evoluíram muito. Cabinas de tradução, unidades do intérprete e fones de transmissão podem funcionar com sistema infravermelho, FM ou digitalmente. Além disso, há os equipamentos portáteis de interpretação simultânea, que possibilitam a tradução simultânea sem cabina para pequenos grupos e em situações em que os participantes se deslocam durante o evento, como em visitas ou auditorias de fábricas, por exemplo.

Com o avanço das tecnologias remotas, já há alguns anos temos trabalhado em plataformas de tradução à distância, fazendo interpretação simultânea só que com intérpretes e palestrantes localizados remotamente, chamada de interpretação simultânea remota ou à distância, ou RSI. Essa opção de interpretação simultânea ganhou ainda mais importância durante a pandemia de Covid-19 e hoje domina o cenário de eventos remotos ou híbridos.

Com tantas opções, é certo que sempre há uma solução perfeita para seu evento. Para isso, o cliente pode contar com o envolvimento dos intérpretes consultores desde o início do planejamento para que sugiram a solução mais custo-efetiva e que trará a melhor experiência para todos os participantes.

The Origins of Simultaneous Interpretation. The Nuremberg Trial. Francesca Gaiba. University of Ottawa Press, Ottawa, 1998.

Peça um orçamento